Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

No divã

No divã

Dom | 02.09.18

DIA 1| Offline por um dia

Setembro chegou (finalmente!) e, como tinha dito aqui, decidi alinhar no desafio minimalista que começou ontem com um dia offline

Para garantir que passaria o dia mesmo offline, na noite anterior desinstalei todas as aplicações do telemóvel que utilizo com demasiada regularidade, como o Instagram, o Facebook, o Messenger do Facebook e o WhatsApp, e pausei a sincronização do e-mail. Assim, consegui garantir que mesmo que ligasse o Wi-Fi ou os dados móveis por descuido ou automatismo não receberia notificações. 

Bom, deixem-me recuar umas semanas na minha vida: há umas semanas atrás (depois de ver este vídeo) tomei a decisão de passar cinco dias sem Instagram e Facebook, porque me apercebi que estava viciada. Eu acordava, ligava o Wi-Fi e ia para o Instagram, via todas as stories até à última que tinha visto na noite anterior e o mesmo com as fotografias do feed. Depois ia ver o Facebook e confesso que, por lá, nem sempre ficava por muito tempo. Então eu decidi fazer um detox destas duas redes sociais por cinco dias. Ao contrário do que previ, foi fácil, não senti falta da vida dos outros e também não passei pelo famoso F.O.M.O*. No entanto, durante esses dias, tomei consciência do quão automática era a ação de desbloquear o telemóvel e de clicar no ícone da aplicação... porque de cada vez que o fazia não havia nada e o automatismo era quebrado... imagino os códigos de erro gerados pelo meu cérebro nesses instantes.

Posto isto, quando aceitei o desafio e vi que o primeiro dia era o de passar 24 horas offline, já sabia mais ou menos ao que ia. Contudo, como levei o desafio mesmo a sério, não pude configurar a impressora e foi uma chatice. Nada de grave: fica para amanhã (ou se calhar fica para terça, porque vai ser um verdadeiro desafio não reclamar com a dita cuja).

O facto de não ter o Messenger do Facebook ou o WhatsApp deixou-me um pouco ansiosa e a sentir-me demasiado desligada: "e se x precisa de alguma coisa e eu não puder ajudar?", "e se y está a passar aqui perto e eu perco a oportunidade de marcar um café e pôr a conversa em dia", etc. Contudo, quando começava a imaginar estes cenários (pouco prováveis, já agora), tentava pensar de outra forma (ah, o poder dos pensamentos... em breve no blog): "se for algo urgente ou verdadeiramente importante, ligam-me para o telemóvel" e a ansiedade gerada diluía-se num instante.

Outro facto que notei foi que a bateria do meu telemóvel chegou ao final da noite com 70% de bateria... fantástico! 

Agora, algo que me fez refletir depois do dia de ontem, que não tinha as redes sociais para me "encher" o dia... senti-me um pouco sem rumo. No sentido em que, durante o tempo que num dia normal eu estaria a perder tempo nas redes sociais, não tinha absolutamente nada para fazer - o que me preocupa consideravelmente e me deixa a refletir sobre os propósitos e a falta deles para a minha vida.

Hoje é o dia de meditar por 15 minutos e vou deixar esse momento para o final do dia, quando toda a gente já estiver na cama e não houver hipótese de ser incomodada.

 

*Fear Of Missing Out (medo de estar a perder algo). 

5 comentários

Comentar post